BÚZIOS
::
   


 

por Flávia Rosas
fotos de Albrecht
 

praia dos sonhos

Quem quiser conhecer uma porção de terra que reúne passado histórico e preserva ainda o calor  humano, só tem um caminho: o que leva a uma das mais famosas praias brasileiras. O russo Yuri Gagarin, primeiro ser humano a entrar na órbita do planeta, não resistiu ao assombro diante do que viu. “A terra é azul”, balbuciou, compondo uma das frases emblemáticas do século passado. Pudera: são três quartos de água cobrindo a sua superfície, ou quase 1,5 bilhão de metros cúbicos. Se Gagarin tivesse dado um pequeno giro pela Praia de Geribá, em Armação dos Búzios, seguramente chegaria à mesma conclusão. Com águas cristalinas, o azul do mar da praia mais badalada de Búzios chega a se confundir com o céu, dependendo da estação. A primeira vista, a paisagem é igual a de outras praias do norte fluminense: vasta extensão de areia separando o mar de uma longa faixa de vegetação de restinga. Mas a Praia de Geribá não é como as outras. Seu encanto está na convivência comunitária, que vai se revelando, aos poucos, a olhares atentos. Não ao acaso, a Praia de Geribá continua sendo um ícone no imaginário de viajantes de todas as partes do mundo. Os primeiros a descobrir as riquezas que essa praia oferece foram os bandos nômades há cerca de 2.500 anos. Na trilha histórica aberta por esses pés nus, passaram índios, escravos, fazendeiros d e café, pescadores e nobres. “Geribá tem uma das ocupações pré-históricas mais antigas da região”, desvendou o historiador Márcio Werneck. A acumulação pré-histórica de moluscos, ossos humanos e objetos de pedra, revelados no canto direito da praia, confirmam a tese da lembrança da evolução da humanidade ao longo de seu passado e presente. A singularidade da história dessa praia encantou a geóloga Kátia Mansur, do Departamento de Recursos Minerais do Estado do Rio de Janeiro. Para a geóloga, apenas conhecendo a origem de Geribá as pessoas entendem a importância de protegê-la. “Ao perceberem que o calendário da terra é longo, começam a se dar conta de quanto é importante resguardar”. Po r escolha dos tupis-guaranis, a palmeira jerivá ou coqueiro-catulé, que produz um coquinho muito doce, batizou a famosa faixa de areia, que com o tempo assumiu a denominação de Geribá. E ganhou o mundo. Motivo: sua doce rotina movida a sol, ondas, badalação, água-de-côco, vida comunitária e banhos de mar. A intimidade dos freqüentadores com a natureza de Geribá fundamenta, em certos casos, a solidariedade que permeia a vida cotidiana dessa faixa de areia. Isso fica claro numa rápida caminhada pela praia. É como se os surfistas de pele tatuada, as crianças das mais diferentes nacionalidades, as meninas douradas e os nativos, fossem de uma mesma família. Geribá é assim: fraterna e extraordinária. Um dos mistérios que ainda não foi decifrado nesse emaranhado de povos e culturas, que formam a intrigante Armação dos Búzios.

gente bonita  Todas as pessoas do mundo deveriam conhecer Geribá. Nem que fosse por um dia na vida, só para acompanhar a rotina curiosa desta extensão de areia, onde é comum as pessoas se sentirem em perfeita sintonia com seu relógio biológico. Não faz muito tempo, a mata virgem, as ondas generosas e as areias brancas desta praia paradisíaca, despertaram as atenções de surfistas e viajantes em busca de lugares inexplorados. Era meados dos anos 60, e este recanto permanecia exclusivo de poucas famílias de pescadores. O tempo passou e houve mudanças desde a sua descoberta pelos forasteiros. Cotada como uma das praias mais bonitas do Brasil, Geribá é dona de uma beleza inegável. No entanto, vem correndo o risco de se tornar mais um daqueles paraísos de nosso litoral que acabaram vítimas da ganância de empresários.  
todas as tribos Com dois quilômetros de extensão em mar aberto, a mais freqüentada praia de Búzios é excelente para a prática do surf, com esquerdas e direitas   quebrando em toda a sua extensão. Surf, futebol, windsurf, vôlei de praia, wakeboard, vela e caminhada: Geribá é uma das maiores escolas de esportes do mundo. Universal e eclética, reunindo pessoas das mais variadas idades, pensamentos e nacionalidades, a Praia de Geribá é um ponto de encontro internacional de todo o tipo de gente: artistas, modelos, famosos, intelectuais e esportistas. Num contínuo ir e vir, seres de todas as tribos convivem e misturam-se. Com forte apelo ecoturístico, a Praia de Geribá consegue manter-se surpreendente. Tudo depende do interesse e da disposição com que se pretende freqüentá-la. Aos mais contemplativos, um banho nas suas águas ou uma visão do nascer do

sol, podem ser motivos suficientes para tornar freqüente as visitas. Os que gostam de vida social ativa, contudo, sonham com badalação e encontros casuais. De uma forma ou de outra, Geribá mantém o seu poder de sedução.

copyright © 2003 Mais Editora Todos os direitos reservados